segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Mãe Suzuki, por Rosani Ventorini

     A participação hoje é de uma família muito especial e que deixou saudades: a família Ventorini! Isabela sempre foi uma aluna motivada, alegre, estudiosa e não deixava de participar de todas as atividades da escola. Tudo isso era visível em seu rápido progresso com o violoncelo. 
     
      Estou muito feliz com a entrevista da mãe Suzuki, Rosani, e quero agradecê-la imensamente pois tenho certeza de que será muito importante a todos os pais e mães que estão, também, nessa caminhada. 


     1. Por que decidiu colocar seu(s) filho(s) a estudar música?


Sou fã da música, a música desperta o que há de melhor no outro. Desde criança estudei em Conservatórios em Sta Maria/RS. Estudava violão, tentei estudar música clássica, mas o método era muito chato, de pura decoreba de notas musicais.... então fui estudar música popular, que era mais fácil. O pai da Isabela (Luís) estudava flauta doce na UFSM.

Desde que a Isabela nasceu queríamos colocá-la na musicalização, mas na época não tínhamos muito tempo, como também residíamos no Rio de Janeiro e não conhecíamos uma escola  que fosse voltada para crianças tão pequenas.

A música traz habilidades, gera harmonia  e bem estar..... Queríamos que a Isabela estivesse em contato com este mundo maravilhoso.

Além disso, como Fonoaudióloga, queria que a Isabela desenvolvesse habilidades em ambos hemisférios cerebrais. Desenvolvemos mais o hemísfério esquerdo e deixamos mais atrofiado nosso hemisfério direito. Quando desenvolvemos ambos, nossas habilidades são mais completas....


2. Como conheceu o Método Suzuki? 


Em Santa Maria, sabíamos que tinha uma irmã de Maria de Shoenstatt (Ir. Wilfried) que trouxe para a Universidade Federal de Santa Maria o método, ouvíamos falar....ficou em minha memória.....mas nunca fui atrás para conhecê-lo melhor....

Depois tive uma grande amiga, Bernadete Odebrecht Nassif, que era professora do método Suzuki em Londrina, no Paraná.  Também ouvia ela tocar muito bem violino e tocar qualquer música de ouvido. Isso chamava-me profundamente atenção, conversei muito com ela....mas  nos lugares  em que morávamos não tinha nada voltado para crianças.

Em 2012, tivemos a oportunidade de morar em Porto Alegre. Então pedi a indicação para a família Frolich, pois seu filho Klaus estudava violino em Ivoti/RS e, neste ano, chegamos a Escola Tio Zequinha. Foi maravilhoso!!!!

A Isabela começou seus estudos com 6 anos, escolheu como instrumento o Violoncelo.  Tínhamos em casa teclado, violão, flauta....mas a paixão dela foi pelo Violoncelo e demos início a tragetória musical. Tivemos a oportunidade de permanecer três anos em Porto Alegre, onde a Isa pode adquirir muitas noções e aprender o volume I e II do método.  Em 2015, meu marido Luís foi tranferido para o Rio de Janeiro. Aqui não tivemos acesso a uma escola de música que ensinasse violoncelo, mas contratamos uma professora particular para dar continuidade aos estudos.


3. Qual é a sua maior dificuldade na trajetória como mãe Suzuki?


Nossa maior dificuldade nunca foi o método, pois este nós gostamos desde o início. Achei muito interessante o método que se baseia na aquisição da linguagem, onde temos que repetir inúmeras vezes até aprender, onde precisamos ouvir as músicas diariamente para estas fixarem-se em nossa memória. Acredito mesmo que a aprendizagem se dá por repetição e por prazer.  Morar em Porto Alegre na zona sul e ter que estudar na zona norte era a maior dificuldade, o trânsito!!!! Mas nunca desistimos por isso. Sempre participávamos de tudo: aulas em grupo, audições, orquestra, apresentações....


4.  E a maior alegria?


Vê-la tocar!!!!! Ver seus progressos diários!!!!!Também o mundo da música e as pessoas que fazem parte desta grande família. Estas pessoas são muito especiais. O método Suzuki faz a criança aprender brincando, a música faz parte do seu mundo como qualquer outra coisa. A criança aprende a tocar peças difíceis rapidamente. É lindo!!!!!


5. Qual o impacto que a educação musical tem no crescimento de seu(s) filhos?
Muitos!!!!! Enumerando alguns: concentração, raciocínio-lógico (este ano a Isabela ganhou o primeiro lugar na Olimpiada de Matemática), auto-estima, auto-confiança, rotina, hábitos, sensibilidade e muita alegria (prazer em tocar).


6. Como é a rotina de estudos em casa? Foi fácil estabelecer esta rotina? Ou foi o maior desafio?
Não foi fácil, e não é fácil. Exige dos pais mais disciplina do que nas crianças. Exige rotina. Mas se olharmos com outros olhos, se somos indisciplinados.... como é nossa vida???? Para a criança a rotina é tudo de bom, ela cresce mais harmoniosa, com mais segurança.

A Isabela estuda pouco, mas todo o dia, inclusive nos finais de semana. Não é obrigada, faz parte da vida diária dela, assim como acordar, escovar os dentes, ir para a escola, estudar, brincar, ler, comer, escovar os dentes, fazer as tarefas escolares, estudar cello, dormir..... todo o dia.... poucas vezes não estudamos. Até quando viajamos o cello faz parte da nossa bagagem....


7. Como é a participação do Pai (ou da mãe) neste processo? Vocês dividem responsabilidades ou cabe a um de vocês acompanhar as aulas e os estudos?
Dividimos sempre as responsabilidades e o pai acompanha os estudos nos finais de semana e a mãe (eu) acompanho diariamente. Quando por algum problema não conseguimos estudar durante o dia, o pai acompanha os estudos  à noite.


8. Alguma dica preciosa para as famílias que estão começando esta jornada? Algo que funciona muito bem ou que faria diferente hoje?
Devemos estimular a criança, cada conquista  é uma vitória. A Isabela por exemplo adora desafios, então funciona muito bem aprender rapidamente uma música para progredir em seus estudos. Avançar sempre!!!

Estar este ano de 2015 no Rio de Janeiro foi muito difícil para nós, pois aqui não tem uma escola que ensine o Método Suzuki. Então trouxemos todo o material que foi fornecido pela prof. Mônica, adquirimos o CD com as músicas do III volume e contratamos uma prof. particular para ensinar violoncelo (Prof. Flávia Chagas).

Sentimos muita falta da estrutura, pois a motivação teve que ser maior. A Isabela sentiu muita falta das aulas em grupo, das audições, das apresentações, da orquestra e de estar inserida no meio de outras crianças da sua idade. Mesmo assim, está terminando de aprender a música 8 do III volume (Humoresque). No próximo ano ainda não sabemos onde vamos residir, mas teremos que mudar a estratégia e estar mais perto de onde as atividades musicais façam parte da nossa vida.

Nossa dica preciosa: aproveitem!!!! Vocês podem estar aí em Porto Alegre e podem ter acesso a este mundo maravilhoso, não deixem de participar das aulas em grupo, dos festivais, das audições, da orquestra. As crianças aprendem com as outras crianças.... A Escola de Música Tio Zequinha, em nosso ponto de vista, é bem completa,  com excelente professores.  Para nós, o importante é a criança estar inserida no mundo da música e ter prazer em tocar. Quanto ao instrumento, acreditamos que a criança deverá fazer a escolha, pois tudo que escolhemos nos empenhamos mais, e nosso comprometimento é maior. Nunca se preocupem com o instrumento, o método Suzuki faz com que a criança toque naturalmente outros instrumentos. A Isabela repete as músicas que aprende no violoncelo, no teclado, na flauta e no violão. Assim, outros instrumentos começam a fazer parte da vida da criança.




Obrigada Rosani, Luis e Isabela! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário