quinta-feira, 19 de julho de 2012

O primeiro solo com Orquestra!


Olha, eu realmente nunca pensei que isso fosse acontecer um dia... Na verdade, eu nunca fui uma solista e nunca nem me interessei em seguir por essa área. Sabia que tocar a frente de uma orquestra não era pra qualquer um e também isso nunca foi exatamente o que eu queria fazer na vida. Melhor deixar isso pros "fodões" (com o perdão da palavra), aqueles que naturalmente mandam ver com uma naturalidade espantosa, coisa que nunca tive pra ser bem honesta!

Rostropovich, um dos "fodões" a que me referia! 

Mas quando o convite surgiu, eu topei. Topei sem pensar muito. Era assustador, mas também me parecia um mega desafio do qual eu queria encarar, nem que fosse uma vez na vida. E assim foi. 

Sabia que não encararia sozinha, então lancei a ideia de tocar o Concerto para Dois Violoncelos de Vivaldi. É um concerto que eu particularmente acho lindo e, modéstia à parte, só tem uma coisa mais perfeita do que um violoncelo tocando... são dois, três, vários violoncelos tocando juntos! Hehehehe! Bianca Prado foi convidada e começamos a colocar em prática o desafio. Sim, porque estávamos as duas no mesmo barco, morrendo de medo mas também bem empolgadas com a oportunidade!

O primeiro passo foi o estudo individual. Eu já conhecia uma parte do concerto, mas não tinha estudado todo ele seriamente. E confesso, não é tão fácil não. Ouvi gravações incessantemente em busca de inspirações e vi vários vídeos para me inspirar. Ajudou um monte.

Estudando, estudando, estudando... 

Depois, um mês e pouco antes do dia do concerto, começamos a ensaiar juntas, uma vez por semana. O primeiro ensaio foi apavorante! Nossa, como é difícil tocar com alguém, ainda mais uma peça tão exigente! Mas aos poucos foi melhorando, e nos últimos ensaios até gravamos e nos surpreendemos: estava soando bem! Mais alguns ensaios e ajustes com a orquestra e... chegou o grande dia! 

Estávamos longe de estar prontas, mas também, quem vive no mundo da música (e das artes em geral) sabe que esse ponto nunca chega. O negócio é fazer, se esperar o dia de estar pronto, parece que nunca acontece, né? Então, lá fomos nós, na cara e na coragem, e com toda a dedicação para nos apoiar nessa hora.


Estávamos nervosas, claro! Mas a sensação de dever cumprido e de que conseguimos transpassar as nossas próprias barreiras foi indescritível! Demos o melhor de nós, erramos sim mas também acertamos muitas vezes e (acho) fizemos bonito. Pelo menos os comentários foram bem positivos.

Ainda tivemos a oportunidade de repetir o primeiro movimento no concerto de aniversário da escola e tocamos em um teatro maior ainda e pra ainda mais gente. Apavorante!

Concerto de Aniversário da Escola de Música Tio Zequinha!
Provavelmente isso nunca mais vai se repetir e por mim não tem problema, já me sinto realizada por ter tido a coragem e a perseverança em realizar esse concerto. O maior aprendizado de tudo isso? Agarrar as oportunidades, sempre. Nunca deixei de fazer isso e nunca me arrependi.

E agora, posso dizer: já fiz um solo com uma orquestra!

2 comentários:

  1. Você foi òtima Mônica! esta Música que você e a outra professora tocaram,eu tenho no meu iPod.Estava muito perfeito; e esta tua ideia de começar a ser solista,eu acho que vale a pena experimentar...É uma ótima experiencia,que quando surge é sempre bom tentar,sempre há uma resposta sendo positiva ou negativa,faz voce analisar coisas que voce não notava e faz voce ver as coisas de outro ângulo.Esta experiencia vai fazer voce melhorar mais ainda do que voce já é.Eu te acho um máximo.Espero um dia eu chegar perto do profissional que você é.Te admiro muito.Grandes bjs sua aluna Vitória MAzon ;).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Vitória, tu não imaginas a minha felicidade com o teu comentário. Achei de um carinho imenso, muito obrigada de verdade.
      Tenho o maior orgulho de vocês, meus alunos, e me dedico muito para inspirar e compartilhar com vocês meus amor à música. Espero que eu consiga atingir esse objetivo, pelo menos um pouquinho.
      Grande beijo da profe!

      Excluir